sábado, 3 de junho de 2017

CREEPYPASTA: A MENINA MAIS LINDA DA ESCOLA



Debaixo das decorações de rosa, vermelho e branco, as meninas dançavam com seus namorados. Meus olhares, entretanto, estavam postos sobre a que estava sentada sozinha em uma das mesas, seus olhos castanhos chocolate escaneando a multidão. Entre o polegar e o dedo indicador, girou uma rosa. Seu nome era Vanessa, e ela era, sem dúvida, a garota mais bonita da escola, não apenas por causa de sua aparência, mas também por causa de sua disposição doce e inocente. Desde o momento em que a vi pela primeira vez, fiquei apaixonado, embora nunca conseguisse reunir coragem para lhe dizer como me sentia. Pelo menos hoje eu poderia deixá-la um presente de Dia dos Namorados.

 — Seu encontro te deixou na mão? — perguntei, me aproximando dela.

— Eu acho que sim.  ela suspirou. — Eu nem sequer sei quem é, só sei que ele deixou essa rosa no meu armário. Tinha essa carta amarrada a ela que diz: Para a garota mais bonita da escola".

— Olha, parece que você tem um admirador secreto  eu brinquei, cutucando seu ombro.

Ela sorriu timidamente, suas bochechas ficando vermelhas.

— Quer suco?  eu ofereci, um dos dois copos.

— Obrigado  ela disse, pegando.

Nós continuamos conversando, enquanto víamos os outros dançando com a música que tocava. Após cerca de quinze minutos, Vanessa começou a ficar desorientada.

— Ei, você está bem?  eu perguntei enquanto ela se curvava, segurava a cabeça em suas mãos.

— Eu... eu não tenho certeza — ela gemeu. — Eu me sinto... de repente, de cabeça leve.

— Aqui — eu disse, ajudando-a. — Vou te levar para tomar um pouco de ar fresco.

Fora do ginásio, eu ajudei Vanessa a andar.

— Eu acho que... eu preciso ir... para casa agora — ela conseguiu dizer. — Eu vou chamar meus pais, eu não posso... dirigir assim.

— Calma, está tudo, que tal se eu te levar pra casa?  eu sugeri.

— Você tem certeza?  ela perguntou. — Eu não... quero te atrapalhar

— Não tenho nada melhor a fazer — eu respondi, encolhendo os ombros.

— Bem... ok — ela murmurou enquanto eu a guiava para o meu carro e colocava no assento do passageiro.

Quando eu comecei o carro e saí do estacionamento, meu coração batia com excitação; Eu estava ansioso pra levar a garota mais bonita da escola em casa... comigo de qualquer maneira.

— Obrigada novamente... por... me ajudar — ela murmurou antes que seus olhos se fechassem.

— Qualquer coisa pela minha aluna favorita — eu respondi.


Autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. É de graça e ajuda o moderador a criar conteúdo de qualidade para você. Todo mundo sai ganhando.