sábado, 3 de junho de 2017

CREEPYPASTA: EU NÃO SOU UM CANIBAL



A carne humana é surpreendentemente saborosa.

Por favor, não me julgue. Foi uma situação terrível. Eu estava morrendo de fome.

Ela já estava morta, e estava assim por vários dias. Foi por isso que fui forçado a comê-la. Ninguém estava lá para me deixar sair ou encher a minha tigela, e eu não alcanço a geladeira para abri-la.

Sua carne tinha gosto de frango. Eu amo frango.

O telefone estava tocando há dias, mas eu não sabia como responder. Alguém realmente deve querer falar com ela.

Depois de alguns dias, alguém veio até a porta e começou a bater. Eu comecei a latir. Eu odeio os visitantes.

"Departamento de polícia, abra!", Gritou um homem. Eu ladrava ainda mais alto.

Eles eventualmente chutaram a porta. Isso me deixou muito irritado. Eu lati pra eles e rosnei.

Um dos homens olhou para mim, depois para seu parceiro. "Que merda é essa? Isso é...”

Eu me lancei sobre o homem antes que ele pudesse terminar de falar, afundando meus dentes em seu braço. Eu consegui dar uma mordida antes que eu fosse eletrocutado com uma pequena arma, e foi quando eu desmaiei.

Acordei com o som de um bip. Eu rosnei. Eu odeio barulhos de bip.

Ninguém estava na sala grande e branca comigo, mas eu podia ouvir pessoas falando lá fora.

"Sua mãe tinha esquizofrenia. Criou ele como um cão por toda sua vida. Ele até tinha um coleira.”

"Ele vai precisar de cirurgia nas costas. Disseram que ele nunca ficou de pé; ele só anda de quatro.”

"Esse pobre garoto. Eu não consigo imaginar viver assim por 15 anos. Como ela chamava ele mesmo? Milo?”

Eu inclinei minha cabeça quando ouvi meu nome. Minha língua se estendeu e eu ofeguei feliz.

Espero que eles me deem uma surpresa. Eu fui um bom garoto.


Autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. É de graça e ajuda o moderador a criar conteúdo de qualidade para você. Todo mundo sai ganhando.