quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Crítica: REC 3

Nome original: [REC]³ Génesis
País de origem: Espanha
Ano: 2012
Roteiro: Luiso Berdejo, David Gallart, Paco Plaza
Direção: Paco Plaza


Antes de mais nada, aviso que não pouparei spoilers. Texto recomendado apenas para quem já viu o filme. Se não viu também pode ler que tá perdendo nada.

Meados de 2008, em busca de algum filme interessante, me deparei com um tal de REC. Sem saber muito bem do que se tratava decidi assistir, e minha surpresa foi ver um documentário chato sobre a vida chata dos bombeiros. Resumindo, chato.
Mas por algum motivo decidi continuar assistindo. A repórter, e nossa anfitriã, acompanha a equipe até uma casa onde uma senhora de idade teria ficado presa. Os bombeiros e policiais até tentam ajudar, mas a velha, com o rosto desfigurado e ojeriza à luz arranca um enorme pedaço do pescoço de um deles a dentadas. Saltei da cadeira e percebi que esse filme merecia mais atenção. O que de início parecia um documentário chato, se transformou em um dos melhores filmes de terror já feitos. Virei fã no mesmo instante.



Em 2007, eis que surge a continuação. REC 2 - Possuídos. Como todo fã de um filme bom, já esperava uma bomba, mas fiquei positivamente surpreendido. O enredo sofreu algumas alterações drásticas, mas conseguiu entreter da mesma forma que o primeiro.
Muita gente não estava aberta a novidades, e foi meio preconceituosa com a ideia de a infecção zumbi ser causada por demônios; eu achei sensacional.

Após o lançamento da sequencia, já anunciava-se mais dois filmes para franquia. Como bom fã, lambi os beiços. Ainda mais quando soube que elas se chamariam Rec: Genesis e Rec: Apocalipse.
Óbvio, um mostrando o início de tudo e outro mostrando o fim, correto? Errado.


Assim como o primeiro REC entrou para minha lista de filmes mais legais que já vi, Rec 3 entrou para minha lista de filmes mais decepcionantes. Na verdade esse filme não se parece nada com um "Rec" de verdade. É apenas um filme de zumbi mediano, quase ruim. Os contextos principais do filme foram simplesmente abandonados. A começar pelo enredo; Clara e Koldo estão felizes em seu casamento. Tudo perfeito como qualquer casamento comum, pessoas fofocando, os amigos dançando, e claro o tio bêbado, que aqui já aparece com uma mordida na mão. Absolutamente sem explicação nenhuma somos introduzidos abruptamente a uma legião de zumbis (que aliás esperam uma deixa bem específica para aparecerem) comendo todo mundo no casamento. E é só isso. Sério. Eu realmente poderia acabar aqui a crítica, mas vamos continuar.

A única menção a franquia Rec, é uma aparição da Menina Medeiros durante cerca de 3 segundos e nada mais. Esse é o único momento em que você pára e pensa, "Ah é, eu tô assistindo Rec". Fora isso é só mais daquele corre corre, tacos de baseball, tiros e mordidas de todos os filmes de zumbi que já estamos cansados de ver. Esperava pelo menos explicação de alguma coisa que vimos nos dois filmes anteriores (partindo do princípio que este se passa antes do isolamento do prédio visto antes).

Voltando a "história"... O noivo e a noiva se separam e precisam se reencontrar para terem a certeza de que estão seguros. Por algum motivo desconhecido, a noiva decide que, se tem um grupo enorme de pessoas infectadas sedentas pela sua carne, a forma mais óbvia de fugir é de salto alto e com a gigantesca cauda do vestido. Pelo menos até ela encontrar uma moto-serra e cortar um pedaço do vestido e mostrar que estava de cinta-liga safadinha. O diretor devia ter fetiche ou algo do tipo, porque essa cena foi um tanto quanto inútil já que o vestido continuava atrapalhando do mesmo jeito. Eu só conseguia pensar, "Moça, o apocalipse zumbi começou, fica pelada logo que ninguém se importa..."

Aliás essa cena da moto-serra trouxe à tona o maior clichê de qualquer filme de zumbi: pessoas normais que do nada viram o Chuck Norris/Anderson Silva/Rambo. A mulher dá voadora, soco, ippon, só faltou sair voando. Apesar disso, essa cena foi uma das mais legais do filme. Eles não tiveram medo de ousar e fazer jorrar sangue para tudo quanto é lado.

Fora todo esse abandono com a trama principal, teve um que me incomodou bastante. A porra do nome do filme é Rec. Por qual motivo apenas 20 minutos do mesmo são feitos com câmeras de mão? O resto do filme é gravado como qualquer outro. Na verdade toda a fotografia lembra mais um clipe de rock que um filme sério mesmo.

Se o filme se chamasse "Casamento Maldito", "Até que os zumbis os separem" ou qualquer coisa do tipo que não fosse relacionado com a franquia Rec, teria muito mais respeito.

QUANTO VALE?
Se você é fã da franquia REC, realmente recomendo que passe longe desse filme, pois o mesmo não acrescenta nada a série. Se quer apenas um filme de terror para assistir com os amigos, não levar a sério e rir um pouquinho, é uma boa pedida.

Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Ótimo comentário seu, acabei de assistir o 3 e não achei aquelas coisas também, sem contar que está mais para de romance do que de terror.
    Respondendo a sua duvida sobre aquela parte do tio com a mão machucada, ele seria o veterinário que aparece se não me engano no 1 filme em que é mordido por um cachorro, ou seja, eu acho que tudo começa com ele.

    ResponderExcluir

Comente. É de graça e ajuda o moderador a criar conteúdo de qualidade para você. Todo mundo sai ganhando.